26
Sex, Mai

Suárez resolve, Barcelona vence o Granada e é campeão espanhol pela 24ª vez

© Getty Luis Suárez, Daniel Alves e Lionel Messi comemoram gol do Barcelona contra o Granada

Futebol
Tipografia

Não foi tão tranquilo como parecia e não veio com o tão sonhado bi inédito na Uefa Champions League. Nem por isso há motivos para lamentar. Muito pelo contrário: neste sábado, o Barcelona, enfim, pôde comemorar outro bi: o do Campeonato Espanhol.

A segunda conquista seguida, a 24ª na história, foi confirmada com vitória, por 3 a 0, sobre o Granada, fora de casa, com três gols do artilheiro Luis Suárez, que abriu o placar aos 22 minutos de jogo, ampliou aos 38 e fechou a conta aos 41 do segundo tempo.

O triunfo deixou os catalães com 91 pontos, um a mais do que o Real Madrid, que superou o Deportivo La Coruña e também chegou para a rodada derradeira com a chance de ficar com a taça. Ainda houve tempo para alguma tensão, já que foram os merengues que abriram o placar primeiro.

Logo aos sete minutos da partida em Anoeta, Cristiano Ronaldo colocou o Real em vantagem, em placar que dava o título ao Real. O Barcelona recuperou a vantagem aos 20 de seu jogo, quando Suárez concluiu, já sem goleiro, cruzamento de Jordi Alba. A partir daí, pouco importava outro resultado...

O mesmo Suárez, artilheiro do Espanhol com 40 gols - o primeiro a quebrar o domínio de Ronaldo e Messi desde seu compatriota Diego Forlán em 2008/09 -, ampliou a vantagem aos 38 minutos, desta vez após assistência de Daniel Alves, e praticamente sacramentou o título.

No segundo tempo, o Barcelona seguiu em cima. Neymar obrigou o goleiro Andrés Fernández a fazer um milagre e cavou um cartão amarelo para Rubén Pérez, que se revoltou com uma tentativa de caneta. O gol, porém, só veio 41 minutos, com assistência açucarada do brasileiro, de novo, para Suárez.

Com a conquista, o Barcelona, que levou três das últimas quatro ligas, fica oito troféus atrás do Real Madrid, que é o maior campeão espanhol - o terceiro maior vencedor é o Atlético de Madri, que já chegou sem chances a esta última rodada, com oito taças.

Foi a sétima vez na história que os dois principais clubes do país definiram o título na última rodada. E, pela sexta, os catalães soltaram o grito de campeão. A última ocasião que houve uma disputa tão acirrada entre ambos foi em 2010, quando os madrilenos ganharam o troféu de forma inédita nessa circunstância.

Para o Barcelona, a conquista em 2015/16 poderia ter sido mais tranquila. Na 30ª rodada - a oito jogos do fim -, a diferença para o vice-líder Atlético de Madri era de nove pontos. Já uma rodada antes, a equipe tinha 12 pontos de folga em relação ao Real Madrid.

Só que um momento irregular, com uma sequência de três derrotas seguidas no Espanhol (para Real Madrid, Real Sociedad e Valencia), precedida por um empate com o Villarreal, reabriu a disputa. Em meio a má fase, os catalães ainda foram eliminados nas quartas de final da Champions diante do Atlético de Madri.

A gordura conquistada, contudo, foi suficiente durante o período de vacas magras - ao longo da liga, o time azul e grená chegou a ficar 22 confrontos sem perder, com 19 triunfos e três empates.

Quando o Barcelona se recuperou, em boa parte graças a uma temporada magistral de Suárez, então, só administrou o que restava de vantagem para assegurar a taça.

Apesar do susto e do crescimento do Real sob o comando de Zinedine Zidane, o futebol espanhol continua tendo o mesmo dono.

 

© MSN Futebol

Assine a nossa newsletter para receber gratuitamente notificações via e-mail de nossas promoções, eventos e novidades.