27
Sáb, Mai

À CNN, Dilma fala em 'defender princípio democrático' e ataca Cunha

© VEJA.com

América do Sul
Tipografia

Prestes a ter a permanência na presidência definida pelo Senado, a presidente Dilma Rousseff concedeu entrevista à rede americana CNN nesta quarta-feira. Dilma falou à correspondente Christiane Amanpour, que publicou em sua conta no Twitter um trecho da conversa com a petista, que vai ao ar na tarde desta quinta-feira.

Confrontada pela jornalista com os franzinos 10% de popularidade de seu governo, Dilma respondeu que "ninguém pode levar um processo de impeachment por impopularidade". "Se fosse assim, todos os presidentes ou primeiros-ministros da Europa, que tiveram taxa de desemprego de 20%, iriam sofrer processo de impeachment porque também tiveram profunda queda na popularidade", disse a petista.

Embora no trecho publicado Dilma não apareça falando em "golpe", a presidente afirmou que irá lutar "para sobreviver, não só pelo meu mandato, mas pelo fato de que o que estou defendendo é o princípio democrático que rege a vida política no Brasil".

Como tem sido frequente, Dilma também aproveitou para atacar o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), apontado por ela como um dos "líderes" do processo. "Quem fez o impeachment contra mim? Todos que fizeram o impeachment contra mim, os líderes, não estou falando da base, estou falando das lideranças, têm processos de corrupção, têm denúncias de corrupção, principalmente o presidente da Câmara", disse a presidente.

 

 

© MSN Brasil

Assine a nossa newsletter para receber gratuitamente notificações via e-mail de nossas promoções, eventos e novidades.